domingo, 16 de outubro de 2016

Citroen 2CV

No ano de 1936, Pierre Boulanger, director geral da Citroen, estava de férias na região de Clermont Ferrand, um centro agrícola muito movimentado. O dia de mercado traz pequenos agricultores e camponeses para vender e comprar produtos frescos. O cavalo e a carroça eram o meio de transporte mais comum na França rural e, à medida que contemplava o cenário, Boulanger começou a pensar que todas aquelas pessoas poderiam vir a tornar-se seus potenciais clientes. O que era necessário pensava ele, era uma forma simples de transporte, tão simples como 4 rodas e um chapéu-de-chuva!
De volta à sua fabrica em Paris Boulanger explicou aos seus engenheiros que o novo veiculo deveria ser capaz de transportar uma cesta de ovos através de um campo de terra arada sem partir nenhum e que ele - um homem alto - deveria poder sentar-se confortavelmente usando um chapéu. Teria ainda que ser barato para estar ao alcance de todos. E como iria substituir o cavalo e a carroça, as performances seriam tudo menos importantes.
A suspensão era um exemplo fantástico de simplicidade e habilidade. As quatro rodas estavam montadas sobre braços compridos, ligadas a mais simples forma de molas e barras de torção e, apesar do carro parecer que ia capotar a cada curva, passou com facilidade o "teste" da cesta de ovos.
O "Deux Chevaux", baptizado assim pela sua potência fiscal, seria finalmente lançado no salão de Paris em 1939. Mas a guerra rebentou e a amostra não teve lugar. O 2CV foi então guardado e preparado para ser lançado no pós-guerra.
Quando foi finalmente apresentado em 1948 o modelo tinha sofrido algumas alterações. Incluíram a refrigeração a ar, para tornar o motor mais fácil de manter e reparar, e uma carroçaria mais atraente. Mas a simplicidade manteve-se: o tecto era de lona, as janelas laterais fixas com portinholas para ventilação e para se poder sinalizar as manobras manualmente, os bancos podiam ser retirados para se poder aumentar o volume de carga.
O 2CV fez parte da gama da Citroen ate 1990 tendo ganho mais potência e cores mais brilhantes, e o mercado alvo passou dos agricultores franceses para todos os condutores urbanos a nível europeu. Ao ver as carroças em Clermont Ferrand, Boulanger estava longe de imaginar o mito que estava a criar.
Fonte: http://forum.motorclassico.pt/showthread.php?t=5173


5 comentários:

  1. Olá, O Citroen 2CV também foi construído em Portugal, mais precisamente na fábrica de Mangualde. Aliás foi na fábrica de Mangualde que saiu o último Citroen 2CV.
    Abraço

    ResponderEliminar